Compartilhando conquistas e resultados

BEM VINDO A PARTNERS CAPITAL 

|

Riscos da Gestão Familiar na Pequena Empresa – Saiba o que Funciona!

Se você já possui um negócio administrado por uma gestão familiar, saiba que faz parte de uma grande parcela das empresas no Brasil. De acordo com o IBGE, mais de 90% das organizações brasileiras são familiares.

No entanto, são poucas as que sobrevivem à sucessão. Um levantamento da PwC identificou que apenas 12% das empresas familiares alcançam a terceira geração e somente 1% chegam a quinta.

Por mais que trabalhar em família seja uma oportunidade de reduzir custos e ter colaboradores mais comprometidos com os resultados, existem alguns riscos iminentes nessa situação. Quer saber quais são?

Descubra, nas próximas linhas, alguns perigos que as pequenas empresas familiares possuem e conheça uma estratégia que realmente funciona para evitar que eles levem o seu negócio à falência!

Os riscos da gestão familiar na pequena empresa

Um pequeno negócio familiar possui dois ou mais membros da família na gestão e, em alguns momentos, na operação da empresa. Esse modelo é bastante eficaz em alguns casos, mas é comum apontar resultados insatisfatórios de médio a longo prazo.

Riscos ligados aos conflitos de interesses entre os membros da família, sobre o futuro do negócio, rivalidades, desentendimentos e brigas pela herança, são os mais comuns dentro de uma pequena gestão familiar.

Infelizmente, esses fatores eliminam a estabilidade e profissionalismo dos familiares, ocasionando dificuldades na comunicação, tomada de decisões e sucessão. O resultado final é capaz de levar a empresa à falência e ainda dividir a família.

Mas é possível evitar essa situação trabalhando de forma eficiente, com um método que protege a empresa desses riscos antes, durante e após a sucessão, por exemplo. Preparado para aplicar no seu negócio?

Uma estratégia para diminuir riscos e potencializar ganhos

Se adaptar às mudanças internas e de mercado em uma pequena empresa exige conhecimento, planejamento e execução. No caso da gestão familiar, o plano de sucessão pode ser uma boa estratégia.

Usado para diminuir riscos e potencializar ganhos a longo prazo, o plano de sucessão é uma das melhores ferramentas desenvolvidas para reduzir as chances de conflitos e falência dos negócios.

Neste plano, é acordado aspectos como família, patrimônio e empresa, de forma coletiva, estreitando os valores e o comprometimento comum. A ideia também é profissionalizar os membros, para que os sucessores consigam dar continuidade a uma boa gestão familiar.

Segundo a PwC, apenas 16% das empresas regidas por gestão familiar têm um plano completo e documentado de sucessão. Provavelmente são essas mesmas empresas que apresentam melhores condições para sobreviverem ao mercado.

Já pensou em fazer parte desse grupo? Basta investir no plano da sua pequena empresa e nos familiares que fazem parte dela. Aí você deve estar se perguntando…

Como fazer e colocar o plano de sucessão em prática?

Assim como a inovação e adaptação, a profissionalização da gestão familiar envolve um processo desafiante e determinante para os resultados da empresa. Pode ser algo bem complicado a princípio.

A empresa atua com foco na estrutura da organização corporativa, com revisão e redesenho de processos e políticas administrativas, comerciais e recursos humanos. Além disso, a  T4 ajuda a preparar os colaboradores para a transição.

Se você deseja contar com menos desgastes e riscos no seu negócio, conheça a solução de sucessão familiar da 1 Klic e descubra como fazer uma gestão mais eficaz!

  Veja Mais
Nenhum resultado encontrado!
Tecnologia do Google TradutorTradutor